voltar

Alimentação



caes.portais.ws







As principais doenças infecciosas

A Coriza
Sob esta designação generalizada existem duas viroses responsáveis por sintomas idênticos, associados a patologia do sistema respiratório. A infecção por calicivírus ou por herpesvírus pode provocar lesões irreversíveis na mucosa respiratória com uma desidratação generalizada intensa, podendo levar à morte dos pequenos gatinhos.Os gatos infectados já na idade adulta tornam-se portadores crónicos deste vírus.

A Panleucopénia
É uma doença viral provocada por um parvovírus que origina uma leucopénia muito importante (diminuição do número de glóbulos brancos), bem como uma diarreia aguda. Pode levar à morte dos pequenos gatinhos e, na fêmea gestante, pode provocar malformações irreversíveis nos fetos.

A Leucose
É uma das principais causas de morte no gato. Esta doença, provocada por um retrovírus, pode estar relacionada com uma situação de anemia, aparecimento de tumores ou leucemia. Um despiste sanguíneo prévio à vacinação é aconselhado para uma avaliação do estado do animal.

A Imunodeficiência Felina
O Retrovírus da Imunodeficiência Felina (também designado por FIV, abreviatura anglo-saxónica) foi descoberto em 1986, não existindo, no entanto, actualmente, qualquer vacinação disponível para proteger os gatos contra esta doença, que se transmite quase exclusivamente por mordeduras.

A Raiva
A doença é provocada por um rabdovírus e transmitida por mordeduras. A vacinação anti-rábica dos gatos, em Portugal, não é uma medida sanitária obrigatória.

A Peritonite Infecciosa Felina
Descoberto em 1960, o coronavírus felino provoca uma situação patológica grave – a peritonite infecciosa felina – associada a diarreias mas com uma sintomatologia muito variada (perda de apetite, emagrecimento, aumento do volume abdominal com acumulação de líquidos, alterações respiratórias). Os testes de diagnóstico não permitem a distinção entre o coronavírus responsável por diarreias vulgares e o coronavírus responsável pela peritonite infecciosa felina, propriamente dita. Só o seu veterinário poderá interpretar os resultados obtidos no laboratório, em função do exame clínico que realize no seu animal e do seu conhecimento preciso das condições em que o seu gato se encontra.

A Clamidiose
Esta doença provocada por uma bactéria é caracterizada por conjuntivites severas e por vezes, alterações pulmonares profundas. Em Portugal existem inúmeras estirpes desta bactéria, tornando-se difícil a identificação precisa do agente responsável pela doença.

A Toxoplasmose
É uma doença parasitária na qual o gato pode actuar como um dos hospedeiros do parasita (assim como o porco e a ovelha). Os últimos estudos científicos demonstram que, respeitando as seguintes regras, o risco de transmissão do gato ao homem é nulo:

- Não alimentar o seu gato com carne crua ou mal cozinhada;

- Eliminar, diariamente, as matérias fecais do caixote;

- Jardinar sempre com luvas calçadas;

- Ferver a água não potável sempre antes da sua utilização;

- Desparasitar regularmente o seu animal.



fonte: cm-vilareal.pt